Download Freewww.bigtheme.net/joomla Joomla Templates Responsive

Sobre o autor

Leda

Leda

Leda Sangiorgio tem 39 anos, mãe da Valentina, esposa do Thiago. Jornalista com 18 anos de experiência na área de saúde, medicina, bem-estar, indústria farmacêutica e comportamento. Pós-graduada em Sistemas de Saúde pela FGV. Co-fundadora do Mães que pensam naquilo e CEO da Agência Health.

Artigos Relacionados

8 Comments

  1. 1

    Thais

    Olá meninas! Tenho uma curiosidade: mães que têm filhos mais velhas, e com mais tempo de relacionamento, sofrem mais (ou menos) por causa da mudança que o casamento passa? Eu tinha 8 anos de casada, era muito feliz e tinha uma vida sexual bem ativa com o meu marido, quando engravidei aos 38 anos. Hoje, meu filho vai fazer 3 anos em dezembro, a vida sexual melhorou um pouco, mas parece que nunca voltará a ser como antes. Às vezes, tenho a impressão de que quem se casa e logo tem um filho, com 1 ou 2 anos de casamento, sente menos essa mudança, porque ainda não tinha criado tanta intimidade, cumplicidade e não tinha curtido tanto tempo a liberdade de fazer o que quisesse a dois, desde ir comer sanduíche às 02h00 numa padaria 24 horas, até poder entrar num motel, de repente, sem planejar. Agora, pelo menos, já podemos ir para muitos lugares onde não íamos com o nosso filho pequeno, porque ele não comia “porcarias”, como batatas fritas e sanduíches. Tive que ensiná-lo a comer essas coisas, para podermos ir nas festas de família sem ter que pedir para esquentarem uma “marmitinha” que eu levava para ele, porque nem sempre ele queria comer antes de sair de casa. Às vezes, na frente de todos, ele diz que quer comer “comida”. Mas não deixo darem refrigerante para ele, levo 2 caixinhas de suco para que meu filho tome algo “menos pior”. Acho que só voltaremos a ter liberdade novamente quando nosso filho tiver uns 15 ou 20 anos!

    Responder
    1. 1.1
      Leda

      Leda

      Oi Thais, pois é, essa é uma boa pergunta. Eu engravidei com 6 meses de casamento, de surpresa, não foi nada programado. Entrei em pânico, porque ainda não tínhamos estabilidade financeira, a gente queria viajar pra Itália e fazer um monte de outras coisas antes de ter um filho. Porém, eu tinha 37 anos e toda a liberdade do mundo. Como eu disse no texto, a liberdade que a gente tinha antes dos filhos jamais será a mesma. Cada escolha é uma renúncia e quando temos um filho precisamos renunciar a várias coisas, não tem muito jeito. Também sinto muita falta das coisas que você relatou, como sair a qualquer hora, ir em qualquer lugar. Hoje nossa vida é restrita à rotina da nossa filha. Viajamos muito pouco com ela, pois acho que crianças pequenas se estressam muito em viagens, fora a questão da comida. Na última viagem eu levei uma marmita também, esquentei e ela não quis comer, praticamente não comeu nada na viagem e entrei em desespero. Acho que liberdade mesmo nunca mais teremos, não como ela era antes. Talvez quando crescerem um pouco mais, tiverem seus 6 ou 7 anos, possamos deixar com tios ou padrinhos para fazer uma viagem curta. O que mais eu ouço desde que engravidei é que passa….então vamos ter fé que dias melhores virão! beijos

      Responder
  2. 2

    Carlos

    Bom dia meninas!

    Descobri hoje o site através de uma matéria do clicrbs. Sou casado e temos um filho de 2 anos, e estamos passando exatamente por tudo isso. As vezes penso que ela perdeu o interesse em mim, que não há mais tesão. Eu, pelo contrário, o tesão por minha esposa só aumentou.

    Confesso que tenho lido e procurado matérias que abordam esse tipo de situação, até mesmo para entender mais minha esposa e fazer minha parte para que as coisas voltem pelo menos um pouco a serem como antes, pois a amo e tenho um ideal de família para minha esposa, para meu filho e eu . Seria muito bom se mais homens acessassem o site de vocês, pois tenho certeza que tirariam várias dúvidas. Meu nome é Carlos e tenho 37 anos e minha esposa e eu estamos juntos a 5 anos e ela tem 25 anos. Abraço a vocês e ganharam um leitor do sexo masculino, pois na minha opinião, se quisermos conhecer melhor as mulheres, nada melhor que saber um pouco mais a respeito delas, e assim acabo entendo ainda mais a respeito da minha. Abraço a todos.

    Responder
    1. 2.1
      Leda

      Leda

      Oi Carlos, bom dia!
      Nossa, você não sabe como o seu depoimento é importante para nós, para nos dar forças e incentivar a continuarmos com o projeto! Obrigada, do fundo do coração! A vida a dois não é fácil depois dos filhos, mas temos que achar uma maneira de nos reencontrarmos como homem e mulher! Convido você a nos acompanhar no nosso Facebook e canal do Youtube também! Sempre temos novidades! Certamente sua esposa te ama sim, mas o cansaço da maternidade é algo que nos deixa sem muito desejo sexual. Converse com a sua esposa, namore, ajude ela nas tarefas, cuide do bebê. Aos poucos tudo vai voltando ao normal!

      Forte abraço e obridada

      Responder
    2. 2.2
      Carol Martins

      Carol Martins

      Li, reli, analisei, e também fiquei com vontade de agradecer seu relato! Esse projeto nunca foi só para as mães. Vocês pais são muito importantes!
      Faço das palavras da Leda as minhas!
      Se tiver qualquer sugestão, crítica, opinião, estamos aqui!!
      Obrigada.
      Abraços e muita força 😉
      Carol

      Responder
  3. 3

    Chris

    Bom dia! Minha gravidez não foi planejada e acho que filho atrapalha um pouco SIM!!! Estou tentando de tudo resgatar meu casamento e meu marido o mesmo. Não temos tempo para ficar juntos pois ou eu tenho algo para fazer ou ele tb e o resto do tempo é para a nossa filha…Se eu pudesse voltar no tempo faria tudo diferente.Os programas são restritos a ela…

    Responder
    1. 3.1
      Carol Martins

      Carol Martins

      Oi Chris! Filhos são realmente um longo tema sem fim. Acredito que as opiniões se divergem, mas não a julgo por achar que eles atrapalham. Espero que esse “tornado” seja uma fase e que logo você encontre um novo estilo de vida, onde todos sejam felizes! Força na peruca! Beijos

      Responder
  4. 4

    Denise

    Amo meu filho, mas a vida sexual fica muito restrita sim, você falou na matéria “deixe com alguém, vá ao motel, etc” mas muitas vezes não tem com quem ficar mesmo! Meu esposo trabalha o dia todo e estuda a noite, temos um filho de 2 anos e 4 meses, assim que o pai chega meu filho fica na maior felicidade do mundo e não quer dormir, fica brincando com o pai, e se deixar fica até 2 ou 3 da manhã, é lindo o amor dos dois, mas não temos muita intimidade por conta do cansaço físico do meu esposo!

    Responder

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

©2017 Mães que Pensam Naquilo - Desenvolvido por F5